Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Imobiliária Zome lança ferramenta que permite fazer propostas de compra e reservar imóveis online

Chama-se Zome Now e é uma “resposta imediata à pandemia Covid-19”, adianta a mediadora imobiliária.

Carlos Santos, CTO da Zome / Zome
Carlos Santos, CTO da Zome / Zome
Autor: Redação

A crise causada pela pandemia do novo coronavírus obrigou os trabalhadores e as empresas a reiventarem-se, e as mediadoras imobiliárias não fogem à regra, usando e abusando da digitalização. A Zome, por exemplo, que nasceu há precisamente um ano, lançou o Zome Now, um serviço inovador de compra e reserva online de imóveis, com processos simples e rápidos. 

Trata-se de uma solução que “estava a ser trabalhada há vários meses” e que foi “agora lançada numa versão beta, como resposta imediata à pandemia Covid-19 que afeta o planeta, de forma a garantir que os negócios imobiliários vão continuar a realizar-se”, revela a mediadora 100% nacional, em comunicado.

“É uma ferramenta muito útil e intuitiva, que garante que os negócios imobiliários possam continuar a ser concretizados com máxima segurança. A distância é só física, porque o acompanhamento garantido pela Zome será tão próximo como era antes”, assegura Carlos Santos, CTO da Zome.

Segundo a empresa, o Zome Now assenta em duas grandes modalidades: Proposta de Compra e Reserva Direta (pelo valor de venda do imóvel). 

“No caso da Proposta, esta é submetida e, caso seja aceite pelo proprietário, são recolhidos os dados do potencial comprador. Se for necessário recurso a crédito à habitação é elaborada uma ficha financeira, sempre com acompanhamento remoto de um intermediário de crédito da Zome. Logo que haja luz verde para avançar, deverá ser feito um depósito de 2.500 euros que garante a realização de Contrato-Promessa de Compra e Venda (CPCV) no prazo de um dia útil. O procedimento é exatamente o mesmo, em caso de Reserva Direta”, explica a Zome.

“Neste processo, as Propostas de Compra ou Reservas Diretas são validadas através do envio de um código SMS para o proponente, de forma a aumentar o nível de segurança da ferramenta. Assim, será sempre solicitado um número de telefone, para onde será enviado um código, que deverá posteriormente ser inserido no Zome Now, para autenticar o processo de proposta/reserva”, acrescenta a empresa, adiatando que todo o processo está em conformidade com o RGPD.

De acordo com Carlos Santos, “o Zome Now será ainda mais completo no futuro, uma vez que continua em desenvolvimento”. “Nas próximas semanas terá novas funcionalidades, com a interação, envio e devolução de documentos e registo de todo o histórico a decorrer numa área de acesso privado de cada cliente”, conta.