Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Escritórios ganham fôlego em Lisboa – mais de 80.000 m2 ocupados até setembro

Absorção de escritórios pode chegar aos 120.000 m2 até final do ano, tendo em conta que há várias operações em stand-by. 

Mercado de escritórios está a recuperar em Lisboa
Autor: Redação

O mercado de escritórios em Lisboa parece estar a animar na reta final do ano, tendo sido ocupados, até setembro, 80.600 metros quadrados (m2). Trata-se de um valor ainda inferior (-21%) ao verificado no período homólogo, mas as boas perspetivas apontam para que se possa alcançar os 120.000 m2 até dezembro, tendo em conta que há várias operações em stand-by

“Os sinais de resiliência são cada vez mais evidentes para a cidade de Lisboa. O mercado ocupacional, gradualmente, vai voltando à normalidade e espera-se que todas as operações que se encontram em aberto sejam em breve concluídas. Lisboa sempre foi uma cidade atrativa para o estabelecimento de empresas que queiram expandir-se internacionalmente, pelas diversas valências que lhes são proporcionadas”, disse em comunicado Ana Redondo, Associate Director do Departamento de Office Agency da Savills Portugal.

Segundo a responsável, “confirmando esta tendência, o apetite de empresas em ingressar no mercado de Lisboa é notório e cada vez mais evidente com o levantamento das restrições inerentes à Covid-19”. “O levantamento das restrições também estão a originar restruturações internas das empresas, o que leva muitas vezes à mudança de edifício”, acrescenta.

"O apetite de empresas em ingressar no mercado de Lisboa é notório e cada vez mais evidente com o levantamento das restrições inerentes à Covid-19"
Ana Redondo, Associate Director do Departamento de Office Agency da Savills Portugal

De acordo com a Savills, o mês de setembro de 2021 apresentou um desenvolvimento positivo, quando comparado o mesmo mês do ano passado, contabilizando um volume de absorção de 6.341 m2. 

Por regiões, adianta a consultora, a zona 5 (Parque das Nações), com 23.233 m2 de volume de absorção, continua a ser a que tem maior atratividade, seguida da zona 7 (outras zonas), com 15.634 m2, e da zona 2 (CBD), com 12.775 m2. “No entanto, o maior destaque vai para a Zona Histórica e Beira Rio, que apresentou uma variação de 534% face a 2020, devido à transação da Evolution Gaming, que ocupou o edifício Atelier na totalidade, com cerca de 1.522 m2”, lê-se no documento.

93 operações fechadas até setembro

De referir, ainda, que foram fechadas 93 operações na capital nos primeiros nove meses do ano, a maioria das quais (28) na zona CBD. “Na totalidade do mercado, com um aumento de praticamente 29% do número de negócios fechados face a 2020, o mercado de escritórios de Lisboa continua a apresentar-se resiliente e atrativo”, nota a Savills.

A consultora considera que “a pandemia trouxe muitos desafios para as empresas de todos os setores de atividade”, tendo o setor das áreas mais tecnológicas sido “presenteado com oportunidades que resultaram na expansão de muitas empresas”. 

“O volume de absorção de novas empresas na região de Lisboa também se encontra com níveis superiores a 2019 e 2020. Em 2019, entre janeiro e setembro foram contabilizadas 21 empresas que entraram no mercado de Lisboa, sendo que em 2021, houve menos cinco transações. No entanto, a área média de 2021 atingiu os 836 m2 enquanto em 2019 a área média foi de 541 m2”, conclui a consultora.