Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Proprietários mostram “alguma resistência” ao certificado energético

Miguel Poisson, Diretor Geral da ERA portugal
Autor: rseabra

A nova lei obriga o proprietário ou mediador imobiliário a informar o comprador, ou futuro inquilino, sobre a eficiência energética do imóvel no momento em que este é posto no mercado, seja para vender ou para arrendar. Quer isto dizer que, no momento em que é anunciado, o imóvel já tem que ter o certificado energético.

Em declarações ao idealista News, Miguel Poisson, Diretor Geral da ERA Portugal, admitem que tem havido “alguma resistência” por parte dos clientes. “O montante a pagar varia consoante a empresa que passa o certificado e a dimensão da casa. Haverá seguramente casos em que a obtenção do certificado representará um grande esforço financeiro para o proprietário”, diz.

Quanto à possibilidade de uma “má certificação” energética poder ter influência no preço de venda ou arrendamento do imóvel, Miguel Poisson afirma que esta é “mais uma variável que será ponderada, entre outros critérios, durante o processo de negociação e de decisão da compra ou arrendamento de um imóvel”.

Face a esta nova logística, as imobiliárias têm tentado encontrar novas estratégias para que os seus imóveis possam ser anunciados dentro da lei e para que os clientes não desistam de os pôr à venda devido aos custos e burocracias envolvidos. “A ERA tem uma parceria com a home energy, grupo edp, (...) podendo o cliente pagar o seu certificado energético em mensalidades com condições únicas”, conclui o responsável.

 

Notícias relacionadas

Comprar certificados energéticos na internet é mais barato

Certificados energéticos: custos são elevados para proprietários

Corrida aos certificados energéticos: lei entra em vigor dia 1

10 perguntas sobre o certificado energético

Anunciar casas sem certificado energético dá multas até 45 mil euros

Artigo visto em
(idealista news)