Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Golden Visa: outro estrangeiro investigado

Autor: Redação

O Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) está a investigar dois cidadãos estrangeiros detentores de Vistos Gold (Golden Visa/Vistos Dourados) por suspeitas de branqueamento de capitais. Um dos casos já era conhecido, trata-se de um cidadão chinês detido no âmbito de um mandado de captura internacional emitido pela Interpol a pedido das autoridades chinesas. O segundo caso é relativo a um cidadão estrangeiro de outra nacionalidade.

De acordo com o Público, os inquéritos-crime foram abertos na sequência de alertas emitidos no âmbito do sistema de prevenção de branqueamento de capitais, que obriga os bancos e outras entidades, como notários ou empresas de mediação imobiliária, a comunicar à Unidade de Informação Financeira (UIF) da Polícia Judiciária determinado tipo de operações que preenchem requisitos considerados de risco.

O DCIAP revelou que já foram emitidos cerca de dezcasos de alerta para operações financeiras conexas com pedidos de Autorização de Residência para Investimentos (ARI)”, mais conhecidos como Vistos Gold. “Os movimentos financeiros subjacentes a pedidos de ARI são sujeitos a uma análise de risco de branqueamento tal como quaisquer outros movimentos. Ou seja, não existe qualquer especialidade em relação às demais comunicações de branqueamento”, assegurou o DCIAP.

De referir que, segundo os últimos dados, já foram emitidos 772 Golden Visa, 612 das quais a cidadãos chineses. Estas autorizações de residência podem ser atribuídas a estrangeiros que invistam pelo menos 500 mil euros na aquisição de imobiliário – a esmagadora maioria dos casos –, criem pelo menos dez postos de trabalho ou transfiram pelo menos um milhão de euros para Portugal.