Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Em dez casas vendidas, duas são novas e oito usadas

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Os portugueses continuam a preferir comprar casa em vez de arrendar. Esta é uma tendência que se mantém, apesar do mercado de arrendamento ter ganho maior expressão nos últimos tempos. A diferença, agora, é que estão a ser transacionadas menos casas novas: em 10 imóveis vendidos, só dois estão por estrear, menos um que antes da chegada da Troika, em 2011.

Segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), realizaram-se 24.512 transações de imóveis no segundo trimestre deste ano, mais 25% que no mesmo período de 2014. Destes negócios, 19.567 (79,9%) são relativos a alojamentos existentes, ou seja, oito em cada dez casas vendidas são usadas.

Trata-se de um registo ligeiramente diferente ao verificado no país antes da chegada da Troika. Nessa altura, no segundo trimestre 2011, três em cada dez casas compradas (30,1%) encontravam-se por estrear.

No que diz respeito ao preço dos imóveis, aumentaram 2,9% num ano – entre abril e junho deste ano face ao mesmo período do ano passado. “Esta taxa foi superior 2,1% à verificada no trimestre anterior, interrompendo um período de três trimestres consecutivos nos quais se havia registado uma desaceleração dos preços das habitações. Por segmento, os alojamentos existentes apresentarem uma variação de 3,4%, taxa superior à verificada nos alojamentos novos (2,5%)”, refere o INE.

Face ao primeiro trimestre do ano, os preços da habitação subiram 3,7%, “tendo os alojamentos novos registado uma taxa de variação de 5,3%, superior em 2,3% à observada nos alojamentos existentes (3%)”, conclui o INE.