Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Arrendamento: já há inquilinos a oferecer 12 meses de renda para assegurar imóveis

Nick Karvounis/Unsplash
Nick Karvounis/Unsplash
Autor: Redação

Muita procura, pouca oferta. Há cada vez menos casas disponíveis para arrendar em Lisboa. Um cenário que está a levar potenciais inquilinos a oferecem 12 meses de renda para garantir imóveis. “O mercado está seco”, garante António Frias Marques, presidente da Associação Nacional de Proprietários (ANP).

São sobretudo os cidadãos estrangeiros, principalmente de nacionalidade brasileira, a fazer este tipo de ofertas, escreve o jornal i. “São pessoas que não têm IRS para apresentar, o que, para muitos senhorios, serve de garantia para poderem avaliar a capacidade financeira do potencial inquilino, e como têm dinheiro em carteira, optam por pagar a pronto durante um ano porque assim conseguem garantir o imóvel”, contou à referida publicação uma agente imobiliária. “Caso contrário, corriam o risco de não conseguirem arrendar porque a concorrência para ficar com aquela casa é grande”, acrescentou.

“Salve-se quem puder” parece ser o novo lema do mercado do arrendamento. Há cada vez mais pessoas a “jogar este trunfo” quando confrontadas com a possibilidade de não conseguirem ficar com o imóvel. “Estamos perante um crime de especulação porque os senhorios só podem receber até cinco rendas adiantadas: três correspondentes a rendas e mais duas referentes a caução”, disse António Frias Marques. “O mercado está seco”, sublinhou.

Para Menezes Leitão, presidente da Associação Lisbonense de Proprietários (ALP), estamos a assistir a uma “grande retração” no mercado de arrendamento, que vai conduzir a novos aumentos de preços, um problema “sem solução à vista”, já que continuam a faltar casas para arrendar.