Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Sabes o que é que os senhorios são capazes de fazer para expulsar inquilinos?

pragmart/Unsplash
pragmart/Unsplash
Autor: Redação

Bilhetes ameaçadores de despejo, luz, água e gás cortados sem aviso, janelas partidas ou corrimãos arrancados. Há senhorios em Lisboa a tentar de tudo para expulsar os inquilinos, na maioria idosos, que ainda vivem no centro histórico da capital. As histórias de “terror” e de bullying estão a espalhar-se um pouco por toda a cidade. E na hora de despejar os moradores parece que todos os “esquemas” valem.

Joaquim dá nome a um morador de um prédio perto de Campo de Ourique – foi comprado por uma sociedade francesa para ser transformado num condomínio de luxo. O reformado, e um dos últimos resistentes – os restantes moradores foram saindo, um a um – contou ao Expresso que nos últimos meses tem sido alvo de bullying e que já fez múltiplas queixas à conta do que tem vindo a acontecer. Alguém foi partindo as 12 janelas do andar de cima do edifício onde mora (que está vazio e cujas chaves estão nas mãos dos proprietários), obrigando-o a pôr alguidares em todo o patamar, face à chuva que agora inunda a casa. O teto da casa de banho entretanto desabou.

Os arrendatários com quem o semanário falou relatam verdadeiros “esquemas”. Há senhorios que, para se livrarem dos inquilinos, fecham as contas bancárias onde estes últimos depositam a renda e criam outra sem avisar. A maioria dos moradores entra em incumprimento sem saber, acabando por dar argumentos para o despejo.

Mas há quem ainda vá mais longe. No Bairro Alto, por exemplo, um senhorio decidiu arrancar as escadas de acesso à rua durante a noite, tudo para obrigar os inquilinos a sair.

A história repete-se em Alfama, onde um morador de 80 anos foi obrigado a sair da casa onde vivia, depois de o senhorio ter dito que ia fazer obras no telhado. Ao invés de fazer obras, o senhorio arrancou várias telhas, deixando o apartamento cheio de humidade.

Encontramos um caso similar na Rua dos Fanqueiros (Baixa de Lisboa), onde um senhorio decidiu subir a renda a uma idosa de 94 anos para 825 euros. A arrendatária não aceitou o aumento e, como represália, o senhorio decidiu retirar os corrimãos e interruptores das escadas, impedindo-a de sair de casa – a idosa não cedeu à pressão e garantiu que só abandonará o prédio com ordem do juiz.