Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Rendas das casas sobem 3,1% em abril e Lisboa regista “aumento mais intenso”

Os dados constam do Índice de Preços no Consumidor (IPC) divulgado pelo Instituto Nacional de Estatísica (INE).

Photo by CoWomen on Unsplash
Photo by CoWomen on Unsplash
Autor: Redação

As rendas das casas por metro quadrado (m2) subiram 3,1% em abril de 2020, face ao período homólogo, registando uma taxa inferior em 0,2 pontos percentuais (p.p) àquela que foi apurada no mês anterior (março). Segundo o Índice de Preços no Consumidor (IPC), divulgado pelo Instituto Nacional de Estatísica (INE), todas as regiões apresentaram variações homólogas positivas das rendas de habitação, tendo Lisboa registado o aumento mais intenso (3,7%).

O valor médio das rendas de habitação, segundo os dados do INE, registou uma variação mensal de 0,1%, valor inferior em 0,2 p.p. ao registado no mês anterior. A região Norte apresentou a variação mensal mais elevada, com uma taxa de 0,2% e a Região Autónoma da Madeira apresentou a redução mais significativa, com uma taxa de -0,2%.

O INE sublinha, porém, que a pandemia Covid-19 e as consequentes restrições ao comércio e serviços obrigaram a novas abordagens no cálculo do IPC. Pela primeira vez, em abril de 2020, refere, foi necessário apurar o IPC sem recurso ao trabalho de campo de inquiridores.

“Tratou-se de uma situação inédita tendo sido necessário, num muito curto espaço de tempo, modificar a recolha de preços de modo a garantir o apuramento do IPC. Refira-se que o IPC integra um número significativo de preços obtidos por via administrativa, que não foram afetados por estas restrições, com particular destaque para as rendas de habitação provenientes dos recibos eletrónicos de rendas”, frisa ainda.