Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Mediadoras estão a contratar: imobiliário gera oportunidades de emprego em plena crise

Para continuar a fazer negócio e enfrentar a crise, as imobiliárias estão “à caça” de talento. Resiliência e sentido de compromisso são fundamentais para se ser contratado.

Photo by Tim Mossholder on Unsplash
Photo by Tim Mossholder on Unsplash
Autor: Redação

O setor imobiliário e da construção tem-se mostrado resistente à pandemia da Covid-19, voltando a destacar-se, nesta crise, como importante motor da economia nacional - na primeira quinzena de junho, estava já quase totalmente operacional, com 97% das empresas ativas. As obras nunca pararam no país e a mediação imobiliária foi, de resto, uma das primeiras atividades com luz verde do Governo para abrir portas no arranque do desconfinamento. Segundo o Banco de Portugal, o imobiliário e construção estão mesmo a impedir uma recessão maior a nível nacional, mas para dar a volta à crise e responder aos desafios do futuro, as empresas do setor perceberam que precisam de mais talento, estando, por isso, à procura de profissionais para reforçar as suas equipas. O idealista/news falou com algumas das maiores redes imobiliárias do país para perceber o que é que motiva as novas contratações, neste contexto, e que requisitos devem cumprir os potenciais candidatos que têm assim no imobiliário uma oportunidade de emprego.

As redes imobiliárias dizem que estão (e estarão sempre) à procura de capital humano talentoso e agora, mais do que nunca, resiliente. Todas são unânimes em dizer que esta será uma época para “separar o trigo do joio” e na qual só os mais aptos terão a capacidade para sobreviver. Apesar das “regras do jogo” terem mudado, com a chegada do novo coronavírus, as mediadoras têm se mostrado capazes de “fintar” a crise, fazendo da digitalização um trunfo para garantir a sua sobrevivência, e dando provas que é possível continuar a trabalhar para manter o setor ativo.

Mas para continuar a fazer negócio, dizem, são precisos recursos humanos. Pessoas motivadas e proativas, e prontas para enfrentar tempos de turbulência, agarrando esta oportunidade para fazer a diferença e não cair no esquecimento. Melhorar a credibilidade, confiança e visibilidade são condições sine qua non, porque é preciso estar presente, mais do que nunca, de forma relevante e humana, tal como explicam os especialistas em marketing e comunicação neste artigo. Para isso, faz toda a diferença a qualidade do talento.

E porque os momentos de crise abrem sempre novas janelas de oportunidade, as imobiliárias mantêm-se ativas e conscientes da necessidade de reforçarem o capital humano nas suas empresas, procurando pessoas com níveis elevados de formação e profissionalização e, sobretudo, com grande sentido de compromisso.

Novas oportunidades de emprego num cenário de subutilização do trabalho a nível nacional

Os dados oficiais mais recentes do Instituto do Emprego e Formação Empresarial (IEfP) confirmam, aliás, esta tendência. As ofertas de emprego recebidas ao longo do mês de maio de 2020 somavam perto de 7 mil, em todo o país, e o imobiliário estava entre as atividades económicas com maior expressão, representando quase um terço do total (29,1%). A construção, por sua vez, era responsável por 10,6% dos anúncios. 

Por outro lado, os indicadores divulgados esta quarta-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) dão conta de uma redução da população empregada para os 4.646,6 indivíduos em maio. Em apenas um mês o país perdeu 104,9 mil empregos. Nesse período, a taxa de desemprego caiu para os 5,5%, face aos 6,3% registados em abril. Mas é no grupo dos inativos que estão contemplados os milhares de desempregados que, nos últimos meses devido à pandemia, têm sido empurrados para fora do mercado de trabalho. Isto faz com que a taxa de subutilização do trabalho seja de 14,2% - e este é atualmente um indicador mais próximo do desemprego “real” do que a própria taxa de desemprego.

Com este contexto como pano de fundo, e para melhor perceber o que procura o setor imobiliário em termos de novo emprego, o idealista/news decidiu desafiar as mediadoras a responderem a estas 5 questões:

  • Quantas pessoas têm atualmente na vossa equipa?
  • Estão a contratar? Se sim, quantas pessoas e para que funções?
  • O que motiva as contratações neste contexto de crise? Com que objetivo surgem?
  • Porque devem os potenciais candidatos optar por aceitar trabalhar convosco e no setor imobiliário?
  • Há quem diga que a crise vai ser boa para profissionalizar o setor, separando o trigo do joio, e sobrevivendo apenas os bons profissionais. Partilham desta visão? Porquê?

E o ‘feedback’ que recebemos está nas respostas, agora apresentadas por ordem alfabética das marcas.

  • Century 21: Ricardo Sousa (CEO)

Neste momento, a rede Century 21 Portugal tem mais de 3.500 colaboradores. Estamos em processo de recrutamento de perfis para diversas áreas. Procuramos sobretudo, consultores imobiliários, coordenadores de equipa, técnicos de Recursos Humanos, integradores, diretores comerciais e gestores processuais.

Atualmente, a mediação imobiliária profissional regista uma evolução significativa na sua área de atuação. Os processos de transação imobiliária são complexos, cumprem elevados requisitos de compliance e implicam a interligação de várias áreas de intervenção. A mediação imobiliária exige, agora, uma ampla prestação de serviços complementares, quer aos consumidores, quer às próprias equipas comerciais, para garantir níveis superiores de eficiência de serviço e a criação de valor relevante.

Na rede Century 21 Portugal, adotámos uma estratégia de recrutamento com base num processo de seleção estruturado, que nos permite identificar os perfis mais ajustados aos nossos valores empresariais e à nossa visão de futuro, para o setor imobiliário. Nos últimos tempos, muitas pessoas olharam para a mediação imobiliária como uma forma oportunista de aproveitar o ciclo expansionista do mercado imobiliário. Neste contexto de mercado, mais complexo e incerto, são necessárias outras tipologias de competências, níveis mais elevados de formação e profissionalização, e um grau de compromisso superior, por parte dos profissionais de mediação imobiliária.

  • Coldwell Banker Portugal: Frederico Abecassis (CEO)

A Coldwell Banker Portugal conta, atualmente, com 110 colaboradores e consultores distribuídos pelo Master Franchisor e pelas 5 agências que representam a marca em Portugal, e estamos permanentemente atentos ao recrutamento das pessoas certas para integrar a rede. O contexto favorece, de acordo com a experiência do setor, o crescimento das redes e, nomeadamente, as que têm escala a nível internacional, face à procura externa que suporta maioritariamente o mercado no momento, ao espírito de colaboração prevalecente, ao trabalho em equipa e de boas práticas que são disseminadas, permanentemente.

O setor imobiliário sempre foi uma área de refúgio para muitos investidores em situações macro económicas mais frágeis e é uma atividade profissional muito relevante para os mercados quando exercida com qualidade de serviço e orientação para o cliente; a Coldwell Banker desde 1906 que é conhecida pelos resultados obtidos e pela orientação para o cliente e para a qualidade pelo que se revela, em todos os países em que se encontra representada, uma boa opção para aqueles que querem deixar a sua marca no setor imobiliário.

Acreditamos que os profissionais têm o desafio de se reinventar e de se especializar. A Coldwell Banker tem vindo a desenvolver estratégias que se coadunam com as boas práticas das principais learning organizations. Com base nesta premissa, desenvolvemos e aceleramos recursos para fortalecer a estrutura e a rede Coldwell Banker, precisamente para capitalizar o desenvolvimento dos nossos afiliados. Temos vindo a assistir a uma capacidade extraordinária de evolução multigeracional dentro da nossa rede.

  • ComprarCasa: Luís Nunes (CEO)

A rede ComprarCasa-Sede é constituída por oito elementos que, desde os serviços centrais, garantem todo o acompanhamento e animação da rede. No total, somos 519 elementos a dar cobertura de norte a sul de Portugal Continental e Região Autónoma dos Açores, onde estamos presentes em duas das suas ilhas. Salientando o facto de sermos uma rede Ibérica, seremos, ao todo, cerca de 1.400 elementos a trabalhar neste importante mercado. Para a ComprarCasa, “para além da Transação, a Relação!”. Assim sendo, estamos constantemente ativos no sentido de encontrar mais e melhores elementos para a rede. Neste momento, procuramos recursos humanos, principalmente, para a função de agentes/consultores. Pretendemos, no curto prazo, atingir o número de 550 elementos, no território nacional.

Sobre os potenciais candidatos, consideramos que deverão apostar no mercado imobiliário pela sua especificidade, mas também pela sua heterogeneidade. É um mercado muito atrativo, seja pelo seu enorme dinamismo mas, particularmente, pela constante novidade: não há imóveis iguais e, principalmente, não há clientes iguais. Por outro lado, tal como já referi, é histórico e continuará a ser assim: o setor imobiliário é o dínamo de um conjunto de atividades económicas que gravitam à sua volta e isso reforça a sua atratividade.

Trabalhar connosco… é a parte fácil. Tal como costumo mencionar, “quem vem, sente-se em casa!”. Se acreditamos que a relação é muito mais importante que a transação então…. fazer parte da ComprarCasa é integrar uma família; família que tem uma mesma missão, comunga valores idênticos e que preconiza objetivos comuns, que são a experiência-cliente. Estamos muito conscientes que só necessitam de recear pelo futuro os que não sejam bons profissionais; os que, durante a pandemia, simplesmente desapareceram e deixaram de contactar os seus clientes. Todos os verdadeiramente profissionais, que souberam apostar na credibilidade e confiança, manter-se-ão no setor e, acreditamos, com excelentes resultados.

  • DECISÕES E SOLUÇÕES: Guida Sousa (Diretora Coordenadora Nacional)

Neste momento temos cerca de 1.000 colaboradores a trabalhar nas cerca de 100 agências da DECISÕES E SOLUÇÕES. Queremos reforçar as equipas de trabalho de toda a sua rede de agências localizadas de norte a sul do país e ilhas, com 1.000 novos colaboradores para as funções de consultor e diretor comercial nas áreas de: Mediação Imobiliária, Mediação de Obras, Construção de Imóveis, Intermediação de Crédito e Mediação de Seguros.

Mesmo numa fase em que o nosso país atravessa uma crise de saúde e económica, a DECISÕES E SOLUÇÕES continua a crescer e por isso apostamos na expansão e nas pessoas para as nossas agências. Este investimento no capital humano faz parte da estratégia da empresa, que com o atual contexto decidiu reforçar as suas equipas, também como uma forma a combater o desemprego e contribuir para a recuperação da economia portuguesa. Com esta admissão de novos consultores e diretores comerciais, pretendemos, por um lado, assegurar uma maior cobertura dos nossos serviços à população portuguesa e, por outro, apresentar novas oportunidades de emprego a muitas pessoas, que tenham gosto por uma atividade nas áreas imobiliária e financeira rentável e que a longo prazo se poderá tornar, porventura, um negócio próprio.

Em todas as crises só sobrevivem as empresas e os profissionais, que trabalharem arduamente e prestarem o melhor serviço ao cliente. Para isso acontecer, é preciso que se reinventem e se adaptem às novas necessidades de mercado. Mas a verdade é que de acordo com análises recentes do Banco de Portugal, os setores do imobiliário e construção, têm dado sinais de serem as áreas que melhor têm estado a sobreviver ao impacto da pandemia e que ajudam a equilibrar o estado de saúde da economia nacional. Em tempos de crise, só sobrevive quem conseguir adaptar o seu negócio à tão chamada ‘nova normalidade’, ou seja, incorporar o online na sua estratégia, através de videoconferências com intervenientes em qualquer ponto do país, de visitas virtuais a imóveis e de formações de colaboradores, em formato webinars.

  • Engel & Völkers Portugal, Espanha e Andorra: Constanza Maya (Head of Operations and Support)

Temos 130 consultores imobiliários e mais de 40 profissionais que dão apoio a esses consultores e ao negócio em geral (Departamento de Marketing, Departamento Legal, Diretores Comerciais, Team Assistants, Fotógrafos, etc). Estamos a recrutar colaboradores independentes. Selecionamos na sua maioria pessoas que querem colaborar com a nossa marca como consultores imobiliários.

Graças à nossa experiência, sabemos que as situações de crise representam grandes oportunidades. Agora mais que nunca, as pessoas procuram empresas sólidas que, por sua vez, tenham a capacidade de mediar imóveis apesar dos desafios que o momento atual apresenta. Para dar resposta ao mercado queremos continuar a ampliar a nossa rede de consultores em todo o país. O nosso principal valor são as pessoas. Portanto disponibilizamos a todos os nossos colaboradores as melhores ferramentas para serem consultores imobiliários de sucesso. Colaborar com a Engel & Völkers também dá acesso a uma rede que opera em mais de 30 países e com mais de 40 anos de experiência. Tudo isso, somado à força da nossa marca, faz de nós uma aposta segura para liderar o setor.

É uma realidade que em momentos de dificuldade se exige experiência e know-how para se manter no negócio. As pessoas que não têm as capacidades necessárias para apresentar soluções vão ter mais dificuldades. Essa afirmação pode ser válida, mas no nosso caso sempre exigimos um nível muito alto de excelência dos nossos colaboradores; portanto foi a reação deles a esta situação que nos permitiu consolidar o fortalecimento da nossa marca.

  • ERA: Rui Torgal (Diretor Geral)

Atualmente a rede ERA conta com uma equipa de mais de 2.500 colaboradores em regime full-time, 100% dedicados ao cliente e distribuídos por mais de 200 agências em todo o território nacional, cada uma delas especializada na zona geográfica de atuação. A ERA está sempre a recrutar, pois o nosso negócio “tem muito a ver com pessoas e algo a ver com casas”. Estamos sempre a recrutar para funções de Consultoria Imobiliária, Direção Comercial e Coordenação de loja, sendo que têm vindo a surgir cada vez mais vagas para as áreas de Marketing e Recursos Humanos. Acreditamos que as pessoas certas nas nossas agências ERA fazem toda a diferença porque além de contribuírem para um serviço eficaz e personalizado junto do cliente, ajudam-nos também a consolidar a marca.

O setor imobiliário é um dos motores mais importantes para a economia de qualquer país e, apesar do contexto de crise que atualmente vivemos, continuamos a querer apostar no mercado, nas pessoas que decidem ingressar no imobiliário. Foi nesse sentido que, recentemente, a ERA inaugurou no mesmo dia sete novas agências distribuídas de norte a sul do país e integrou 70 novos colaboradores, o que mostra a nossa contínua aposta nas pessoas, para que, juntos, consigamos continuar a crescer e a aproveitar as oportunidades do setor. A ERA faz também uma aposta contínua na formação, no desenvolvimento de pessoas com talento e que queiram construir uma carreira no setor imobiliário, ao mesmo tempo que somos reconhecidos (até pelos nossos concorrentes) como a melhor “escola" de mediação imobiliária em Portugal. 

Os momentos de crise são sempre propícios a que surjam as melhores oportunidades e sobressaia o melhor das pessoas. A prova disso mesmo têm sido os nossos colaboradores, que através de motivação, empenho e espírito de equipa se adaptaram à nova realidade trazida pelo Covid-19 e conseguiram mostrar que é possível continuar a trabalhar para manter o setor imobiliário aceso e com boas perspetivas para o futuro. Apesar deste momento de crise, a nossa motivação mantém-se em ter as pessoas certas nas nossas equipas de trabalho e nas nossas Agências.

  • Keller Williams: Nuno Ascensão (CEO)

A rede da KW Portugal tem cerca de 1770 associados. Temos como objetivo recrutar mais de 1200 associados até ao final do ano para os 26 Market Centers que compõem, neste momento, a rede da KW.  Nas diversas funções para que estamos a recrutar procuramos talento, ou seja, profissionais alinhados com a cultura e valores da KW e que revejam na nossa empresa um espaço onde podem desenvolver a sua carreira e crescer tanto profissional como pessoalmente.

A crise vem acompanhada de mudança. De negócios e das pessoas. A mediação imobiliária, pela sua componente empreendedora, proporciona algo de único: a capacidade de traçar os objetivos e de os tornar realidade. A crise revela. Revela a precaridade das empresas e dos vínculos a que nos habituámos a chamar efetivos. Revela também que quem quer tomar o futuro nas suas mãos tem no empreendedorismo aquela a que chamamos a “nova segurança”. Na KW mantemos a vontade e entusiamo em encontrar profissionais que, em conjunto com a KW, queiram criar o seu próprio negócio.

Aqueles que desenvolveram os hábitos de sucesso bem como a sua proposta de valor para os clientes antes da crise está hoje preparado para triunfar. Aqueles que navegaram o mercado vão ter maiores dificuldades nestes próximos tempos. Ninguém tem sucesso sozinho. O ambiente de produtividade com a melhor formação e com as melhores ferramentas tecnológicas fará uma enorme diferença. Vão prosperar os melhores profissionais e aqueles dotados da melhor liderança e das melhores ferramentas.

  • Remax: Fonte Oficial

Atualmente, a estrutura central da Remax tem 50 pessoas. Estamos em processo de recrutamento de três pessoas para o departamento de operações, ou seja, quem desempenha as funções de análise dos resultados e desenvolvimento das agências Remax.  Motiva-nos essencialmente o querer contrariar tendências. Temos um objetivo muito claro de ajudar as nossas agências a melhorarem o seu negócio, de ano para ano. E essa é uma enorme responsabilidade, enquanto gestores de uma marca líder do mercado imobiliário em Portugal.

Sobre os potenciais candidatos, diríamos que a primeira e principal razão será pelo facto de sermos líderes do mercado onde operamos. Sem dúvida que sendo a marca com mais ferramentas e tecnologia, disponíveis para os agentes e agências imobiliárias, a Remax surge como uma escolha natural. E o setor imobiliário porque mais uma vez acreditamos que irá ser um dos mais importantes motores da economia portuguesa. As crises são sempre benéficas para os profissionais e a Remax está repleta de bons profissionais. 

Nota: A Remax está presente em Portugal desde o início de 2000 e conta com cerca de 11.500 colaboradores, a maioria dos quais consultores imobiliários, em 347 agências, de norte a sul e ilhas. Neste momento, fonte oficial da empresa não dispõe dos dados apurados de todas agências da rede, uma vez que a gestão independente e estão em diferentes estágios.

Ainda assim, um estudo recente da Remax revela que no período de 27 de abril a 24 de maio (final do estado de emergência e início do desconfinamento), a rede imobiliária contratou 395 novos consultores - um registo semanal superior ao verificado em igual período de 2019 - , com uma média de 101 pessoas por semana, o que reflete um crescimento de 26%. De acordo com o relatório, que analisou o impacto da pandemia nos processos de recrutamento da rede, nos dois primeiros meses de 2020 a média de novos recrutamentos Remax fixou-se em 500 novos consultores e assistentes por mês (125 por semana), e em 131 novos consultores e assistentes na décima semana de pandemia (18 a 24 de maio), um número em linha com o início do ano.

  • Zome: Patrícia Santos (CEO)

A nossa equipa tem atualmente 1.215 pessoas a nível Ibérico. Com a forte expansão que estamos a registar, prevemos reforçar a equipa com mais de 600 pessoas até ao final deste ano, maioritariamente consultores imobiliários, mas também diretores comerciais e gestores administrativos.A missão da Zome para as pessoas que se juntam a nós, é gerar oportunidades nesta área e desenvolver carreiras profissionais com o melhor acompanhamento, disponibilizando formação e tecnologia de qualidade excecional. Resumidamente podemos dizer que mudamos vidas, juntos.

É bastante apelativo o facto de os consultores serem empresários em nome individual e trabalhadores independentes. Damos todas as condições e serviços para que sejam bem-sucedidos no seu trabalho. Para quem tem ambição e procura ter o seu próprio negócio, a Zome será a plataforma certa na qual encontrará sinergias entre os melhores profissionais do setor, a melhor tecnologia, a melhor formação e o melhor modelo de criação e desenvolvimento de equipas imobiliárias (Startup) que culmina na maior taxa de sucesso de incubação de Startups. A Zome foi eleita a melhor empresa para trabalhar em Portugal no setor imobiliário em 2019 pela revista Exame em parceria com a Everis e a AESE.

Quando estamos perante novos desafios, a capacidade de adaptação, desenvolvimento de novas ferramentas e aprendizagem de novas metodologias é fundamental. Esta adaptação, que vai mais além do que a capacidade de aprendizagem, passa também pela área digital que é atualmente um fator preponderante para o sucesso nesta conjuntura. Assim, acreditamos que esta nova realidade irá ser ultrapassada com sucesso pelos profissionais que estejam acompanhados por uma estrutura que proporcione a melhor formação e tecnologia, dotando-os de ferramentas e conhecimento que os irá distinguir no mercado.