Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Casas eficientes: como aquecer o lar e baixar a fatura da luz e gás

Portugal é o 5º país europeu onde os cidadãos têm mais dificuldades em aquecer a casa. Eis o que pode ser feito para mudar.

Como aquecer a casa
Foto de Mikhail Nilov no Pexels
Autor: Redação

Sabias que Portugal é o quinto país europeu onde os cidadãos têm mais dificuldades em aquecer a casa? Na verdade, 19% da população tem dificuldades financeiras em manter a habitação a temperaturas adequadas ao inverno. Mas há algumas medidas que podem ser implementadas que poderão ajudar a melhorar o desempenho energético da habitação. Tudo em prol da eficiência energética. Explicamos tudo sobre este tema no artigo desta semana da Deco Alerta. Toma nota.

A Deco Alerta é uma rubrica semanal destinada a todos os consumidores em Portugal que é assegurada pela Deco – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor* para o idealista/news.

O nosso apartamento é muito húmido e frio. As janelas são antigas e deixam entrar muito vento e ar frio. Assim, para aquecer a casa utilizamos aquecedores elétricos, o que significa gastar muito em eletricidade. Na verdade, são dois problemas! Que conselhos e apoio nos podem prestar sobre este assunto?

Com a chegada do outono e da baixa de temperatura, a maioria das famílias enfrenta este pesadelo. Portugal é o quinto país europeu onde os cidadãos têm mais dificuldades em aquecer a casa: 19% da população tem dificuldades financeiras em manter a habitação a temperaturas adequadas ao inverno. Esta situação decorre principalmente das más condições de construção dos edifícios, que fazem com que estes sejam energeticamente ineficientes, mas também dos preços elevados da energia, bem como outros fatores.

Existem algumas medidas que poderás implementar na tua casa que poderão ajudar a melhorar o desempenho energético da tua habitação, algumas medidas exigem um investimento mais elevado (exemplo: substituir janelas ou melhorar o isolamento de paredes), mas também há medidas de custo reduzido, como por exemplo a calafetagem de janelas e portas. Mesmo para os investimentos mais elevados existem alguns programas de apoio a que poderás recorrer, como é exemplo disso o Programa Edifícios Mais Sustentáveis, do Fundo Ambiental. No Gabinete de Aconselhamento de Energia da Deco poderemos explicar-te melhor como poderás pedir este apoio.

Por outro lado, é preciso também verificar se o tarifário que tens contratado é o mais adequado ao teu consumo, há mudanças tarifárias e até de comercializador que poderás fazer que poderão trazer alguma poupança. 

Se precisas de ajuda neste domínio, agenda já uma sessão de aconselhamento com o Gabinete de Aconselhamento de Energia da Deco, e quando estiveres a falar com o técnico é importante que tenhas contigo uma fatura recente de eletricidade e/ou gás

O que é a tarifa social de energia?

A tarifa social de energia é também um apoio importante que deverás verificar se podes beneficiar, ou se já tens este desconto aplicado na tua fatura de energia. 

A tarifa social da energia é um apoio social que consiste num desconto na tarifa de acesso às redes de eletricidade em baixa tensão e/ou de gás natural em baixa pressão, que compõe o preço final faturado ao consumidor. Desde 2016 que o acesso à tarifa social da energia elétrica e do gás natural passou a ser realizado através de um mecanismo automático.

Quais as condições para beneficiar da tarifa social?

Eletricidade:

Tens de ter o contrato de fornecimento de energia elétrica em teu nome, destinado exclusivamente a uso doméstico em habitação permanente, com uma potência elétrica contratada em baixa tensão normal igual ou inferior 6,9 kVA, e receber da Segurança Social um dos seguintes apoios:

  1. Complemento solidário para idosos;
  2. Rendimento social de inserção;
  3. Subsídio social de desemprego;
  4. Abono de família;
  5. Pensão social de invalidez;
  6. Pensão social de velhice.

Gás natural:

Tens de ter um contrato de fornecimento de gás natural em teu nome, destinado exclusivamente a uso doméstico em habitação permanente, em baixa pressão, com consumo anual inferior ou igual a 500 m3, e receber da Segurança Social um dos seguintes apoios:

  1. Complemento solidário para idosos;
  2. Rendimento social de inserção;
  3. Subsídio social de desemprego;
  4. Abono de família (primeiro escalão);
  5. Pensão social de invalidez.

Se quiseres saber mais sobre estes apoios ou outras medidas para gerires melhor o teu consumo de energia, agenda já uma sessão de aconselhamento com o Gabinete de Aconselhamento de Energia da Deco. Contactos para agendamento: 213 710 200 ou energia@deco.pt

Conta com o nosso apoio.

*Visita o nosso site (Deco.pt) e segue-nos na página de Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e Linkedin.