Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Preços das casas sobem em flecha na Zona Euro e UE no segundo trimestre

Aumentaram em termos homólogos 6,8% na Zona Euro e 7,3% na UE. Em Portugal o crescimento foi ligeiramente inferior (6,6%).

Preços das casas em Portugal, na Zona Euro e na UE
Foto de RODNAE Productions no Pexels
Autor: Redação

Os preços das casas continuam a subir em flecha mesmo em tempos de pandemia. No segundo trimestre de 2021, aumentaram em termos homólogos 6,8% na Zona Euro e 7,3% na União Europeia (UE), segundo dados divulgados esta quinta-feira (7 de outubro de 2021) pelo Eurostat. Em Portugal, o crescimento foi ligeiramente inferior: 6,6%. 

De acordo com o gabinete estatístico europeu, trata-se do maior aumento homólogo na Zona Euro desde o quarto trimestre de 2006. Relativamente à UE, é o maior crescimento homólogo desde o terceiro trimestre de 2007.

Preços das casas em Portugal, na Zona Euro e na UE
Eurostat

Estónia (16,1%), Dinamarca (15,6%) e República Checa (14,5%) foram os países onde se verificaram as maiores subidas homólogas, sendo que em 11 Estados-membros os preços das casas tiveram um aumento homólogo de mais de 10%. Chipre foi, de resto, o único país da UE onde comprar ficou mais barato num ano (-4,9%).

Na variação em cadeia, ou seja, no segundo trimestre de 2021 face ao primeiro, os preços das casas também subiram, mas menos: 2,6% na Zona Euro e 2,7% na UE. Portugal apresenta, também neste indicador, um valor mais baixo que o verificado na média europeia: 2,2%.

De referir que, na variação trimestral, os preços das casas subiram nos 27 Estados-membros, com Letónia (6,7%), Eslovénia (4,5%) e Áustria (4,2%) a liderarem o ranking, ocupando os três primeiros lugares, respetivamente.