Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Travão no crescimento da atividade internacional da construção

Gtres
Gtres
Autor: Redação

O setor da construção obteve em 2015 um volume de negócios no exterior na ordem dos 5,2 mil milhões de euros, menos 7% que no ano anterior, divulgou a Associação de Empresas de Construção, Obras Públicas e Serviços (AECOPS).

“Em paralelo, as construtoras nacionais angariaram uma carteira de encomendas no exterior a rondar os 4,2 mil milhões de euros, menos 26% do que o obtido em 2014. Apesar de tudo, a faturação do setor no estrangeiro em 2015 mantém-se relevante, equivalendo a cerca de 3% do PIB e a 7% do total das exportações nacionais”, refere a entidade na última edição dos seus “Cadernos da Internacionalização”.

África continuou a ser o principal mercado de atuação das construtoras portuguesas, representando 60% tanto do seu volume de negócios (3.131 milhões de euros) como dos novos contratos realizados no estrangeiro (2.551 milhões de euros), revela a AECOPS, salientando que na América Central e do Sul foi atingida uma faturação de 1.348 milhões de euros e conseguida uma carteira de encomendas de mil milhões de euros, representando 26% da sua atividade no exterior.

Na Europa, a produção no setor da construção cresceu 51%, para uma faturação de 733 milhões de euros, apesar de se ter verificado um decréscimo de 2% da carteira de encomendas.

“A análise do desempenho da construção portuguesa por países volta a colocar em primeiro lugar Angola (33%) e depois Moçambique (11%), seguindo-se o México (8%), Peru (7%), Polónia e Brasil (6%), Venezuela e Argélia (4%) e Espanha e Malawi (3%)”, adianta a AECOPS.