Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Century 21 já ultrapassou a faturação total de 2020

A mediadora faturou mais de 51 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, registando uma "tendência consistente de retoma".

Century 21 está em alta em tempos de pandemia
Ricardo Sousa, presidente executivo da Century 21 Portugal
Autor: Lusa

A Century 21 Portugal faturou mais de 51 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, um aumento de 57% face ao acumulado dos primeiros três trimestres de 2020 e ultrapassando o total do ano passado. Também o volume de negócios mediado pela consultora imobiliária cresceu 40% nos primeiros nove meses do ano face ao mesmo período de 2020, tendo ultrapassado 1,8 mil milhões de euros, impulsionado pelas atividades do terceiro trimestre.

Entre julho e setembro, a Century 21 Portugal testemunhou uma “progressão muito significativa”, tendo a faturação aumentado 47% para os 19,9 milhões de euros e o volume de negócios mediados na rede atingido 748 milhões de euros, com um aumento de 44% face ao mesmo período do ano anterior.

Em comunicado a rede de mediação imobiliária refere que os seus resultados acumulados ao terceiro trimestre “demonstram uma tendência consistente de retoma, com diversos indicadores a superarem já os totais acumulados de todo o ano anterior”, em particular o número de transações de arrendamento, a faturação ou o número de novos contratos de franquia.”

Rx aos resultados da medidadora imobiliária nos primeiros nove meses do ano

Foto de RODNAE Productions en Pexels
Foto de RODNAE Productions en Pexels

O volume de negócios mediados nos três primeiros trimestres, “que inclui transações partilhadas com outros operadores de mercado”, atingiu 1.883.503.250 euros, um aumento de 40%.

No total dos primeiros nove meses, a consultora imobiliária realizou 2.836 operações de arrendamento (+53% que em igual período do ano anterior) e 11.413 transações de venda (+30%).

A Century 21 Portugal registou também um aumento de 6% no preço médio dos imóveis transacionados na rede da marca, com um valor fixado nos 164.229 euros nos primeiros nove meses do ano face ao período homólogo.

A consultora teve também mais 4.405 transações do que no terceiro trimestre de 2020, quando somou 3.508 operações. Também o preço médio de venda de habitações a nível nacional cresceu, aumentando 14,5% para 169.944 euros.

Qual a tipologia de casa que os portugueses preferem? E os fatores que mais afetam a procura de imóveis?

Analisando a atividade da consultora, o presidente executivo, Ricardo Sousa, referiu que o mercado residencial de apartamentos – “a tipologia de imóvel mais procurada pelos portugueses” – teve uma subida de 14,5% no valor médio de transação registada, tendo sido “sobretudo, influenciada pelos valores dos imóveis vendidos” nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto.

mudar de casa
Foto de Elina Fairytale en Pexels

Em Lisboa, no entanto, a Century 21 Portugal verificou “uma quebra (-5%) no valor médio dos imóveis” vendidos, tendo esse valor baixado para os 306.792 euros.

Analisando a perspetiva nacional, a consultora aponta que há quatro fatores que influenciam a dinâmica nos preços e na procura de casa: a vontade em mudar de casa após o confinamento devido à pandemia da Covid-19, a escassez de oferta de imóveis ajustados às necessidades e capacidade financeira dos consumidores, o aumento da poupança forçada e as baixas taxas de juro.

Para 2022, a Century 21 Portugal estima que “venha a ser um ano bastante similar a 2021, se os fatores identificados se continuarem a verificar, o que fundamenta a perspetiva de uma estabilização global dos valores dos imóveis”.

Nos primeiros três trimestres, a Century 21 Portugal viu também a sua rede imobiliária crescer, com mais 21 franqueados, contando com 180 agências no território nacional e mais de 3.286 consultores imobiliários.