Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Fidelidade suspende cartas de despejo e repensa estratégia habitacional

Creative commons
Creative commons
Autor: Redação

A Fidelidade prometeu ao Governo rever a sua estratégia habitacional. A garantia foi dada pela secretária de Estado da Habitação, Ana Pinho, que se mostra “muito confiante” com a reavaliação dos despejos por parte da seguradora que deverá, ainda este mês, dar uma resposta. 

“A Fidelidade mostrou total abertura para repensar toda a sua estratégia no plano habitacional, para reforçar a função social e proteger melhor a situação dos inquilinos”, disse a governante, ouvida no Parlamento após requerimento do PCP.

Citada pela Lusa, Ana Pinho revelou que a companhia de seguros teria "uma política que poderia abranger outras situações de não renovação automática dos contratos que, neste momento, está toda a ser suspensa e reequacionada pela notícia que tiveram dos novos incentivos, nomeadamente a contratos de longa duração, que estão a ser propostos pelo Governo".

De recordar que o “tema” Fidelidade foi colocado em cima da mesa quando um conjunto de moradores de Santo António dos Cavaleiros, em Loures, veio alertar a Junta de Freguesia local e respetiva Câmara Municipal para o facto de estarem a ser notificados pela Fidelidade de que os seus contratos de arrendamento não iriam ser renovados e que teriam 120 dias para entregar as chaves do imóvel. Um cenário que gerou o pânico entre moradores.

A seguradora decidiu suspender este processo e reavaliar a sua estratégia ao nível do património habitacional, tendo em conta os novos instrumentos da Nova Geração de Políticas de Habitação, cujo pacote legislativo deverá ser apresentado ainda este mês.

Segundo a governante, os instrumentos propostos pelo Executivo têm a capacidade de "dar uma resposta a situações em que se estava a pôr em causa o direito à habitação e a própria segurança no arrendamento".