Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Deco Alerta: Um guia imperdível para os administradores de condomínio

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Chegou a altura de assumires as funções de ser administrador de condomínio? Calma, estamos aqui para te ajudar nessa tarefa. No artigo de hoje da rubrica semanal Deco Alerta, destinada aos consumidores em Portugal e assegurada pela Deco – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor para o idealista/news, ajudamos-te a estar à altura das responsabilidades.

Envia a tua questão para a Deco, por email para decolx@deco.pt ou por telefone para 00 351 21 371 02 20.

Acabei de assumir as funções de administrador do condomínio do meu prédio. Estou muito aflita pois não sei como manter equilibradas as contas e o orçamento do condomínio. Como posso controlar de maneira eficaz as despesas e ter uma administração de sucesso?

A tua preocupação é partilhada por muitos condóminos que exercem a função de administrador. 

Em primeiro lugar, aconselhamos-te a fazer uma reavaliação do orçamento, mais ou menos a meio do exercício, para que possas averiguar se existem aumentos de gastos, como por exemplo o consumo excessivo de água ou luz, a falta de pagamento das quotas por parte de alguns condóminos, ou arranjos inesperados.

Deves verificar todos os gastos cuidadosamente para descobrir onde mais derrapou o orçamento. Se a causa for a conta da água ou da luz, identifica qual a razão e tenta adotar medidas preventivas. Por exemplo, no caso de uma rutura de água desconhecida, inicia a reparação, no caso de desperdícios por parte dos condóminos, como a lavagem de carros na garagem, fala com eles e sensibiliza-os, apelando à “carteira”. 

Se o problema for uma despesa inesperada, convoca uma reunião extraordinária e tenta reajustar o valor das quotas de condomínio, de modo a equilibrar as contas. Contudo, se chegares à conclusão que o que está a pesar mais no orçamento são as quotas em dívida, envia de imediato uma carta ao infrator/res a solicitar a regularização das mesmas.

É boa ideia alertares os vizinhos para os prejuízos que poderão resultar da falta de cumprimento dos seus deveres. E lembra-te que quanto maior é a quantia em dívida, mais difícil será a sua recuperação. Se necessário aplica as penalizações (caso as haja previstas no regulamento do condomínio e depois de devidamente aprovadas em assembleia) antes de recorreres a outras vias, tais como as judiciais.

Há que deixar claro que uma gestão financeira eficaz é fundamental para o bom funcionamento do condomínio e, em última análise, a valorização do património de cada um.