Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Frio e chuva: casas portuguesas entre as mais mal preparadas na Europa

Gtres
Gtres
Autor: Redação

O frio e a chuva parecem estar de regresso. Estarão as casas portuguesas preparadas? Ao que tudo indica, não. Um estudo recente revela que Portugal é o quarto país com maior pobreza energética. Isto significa que os habitantes têm dificuldade em manter as casas quentes no inverno e frescas no verão. Pior do que Portugal só a Bulgária, Hungria e Eslováquia. 

O estudo, realizado pela Open Exp, especializada na transição energética para a Coligação Europeia pelo Direito à Energia, revela que a maioria dos países da União Europeia (UE) - sobretudo os países do Sul e Leste Europeu - apresenta níveis elevados de pobreza energética, sobretudo em agregados familiares de baixos rendimentos.

O índice foi contruído tendo por base quatro indicadores: peso elevado das faturas energéticas no orçamento doméstico; incapacidade para manter as habitações quentes durante o inverno; incapacidade para manter as habitações frescas durante o verão; e habitações com níveis elevados de humidade e com fugas nas coberturas.

Os indicadores permitem uma comparação entre os 28 países da UE, encontrando-se Portugal entre os mais mal classificados. Suécia e a Finlândia são os que apresentam melhor classificação, no nível mais baixo de pobreza energética.

European Energy Poverty Index (EEPI) / Openexp
European Energy Poverty Index (EEPI) / Openexp