Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Descontaminação da Matinha arranca em agosto: primeira fase custará mais de 3 milhões

Os terrenos foram adquiridos em junho de 2019 pela promotora VIC Properties, que ali vai construir um projeto imobiliário com mais 2.000 novas casas.

Maquete do projeto / VIC Properties
Maquete do projeto / VIC Properties
Autor: Redação

A descontaminação dos terrenos da Matinha, na freguesia de Marvila, em Lisboa, onde está prevista a construção de 2.000 novas casas, vai dividir-se em quatro fases. A primeira deverá arrancar já em agosto e durar sete meses, num investimento que irá representar mais de 3 milhões de euros. Os terrenos foram adquiridos em junho de 2019 pela promotora VIC Properties, que ali pretende desenvolver um dos maiores projetos imobiliários em Portugal.

O valor de investimento representa, contudo, uma parte “muito reduzida do plano” e que poderá aumentar se a promotora chegar à “conclusão de que poderá ser necessário descontaminar mais solos”, refere o COO da VIC Properties, Luís Gamboa, citado pelo Jornal Económico.

O plano, apresentado durante um webinar na passada quinta-feira (30 de julho de 2020), vai ter quatro fases. A primeira, de acordo com a mesma publicação, será a escavação de 10 zonas, seguindo-lhe o depósito temporário para ser feita a amostragem e análise que determinam a perigosidade do solo escavado. Depois, segue-se a verificação de admissibilidade em aterro e por fim a carga e envio para o destino final. O processo vai contar com a participação do consórcio EGEO Pragosa, que atua no mercado de resíduos industriais.

Carlos Costa, da consultora ambiental eGiamb, que realizou um estudo sobre as condições do terreno, explica, de resto, que “a contaminação é diferenciada, complexa e reflete uma utilização extensa e intensa em termos industrias ao longo de cinco décadas e que levaram a que o terreno ficasse com as características de um 'brown field', ou seja, um terreno incapaz de se regenerar por si próprio, sendo necessária a intervenção humana”.