Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Espanhola Azora compra dois hotéis Tivoli no Algarve por 148 milhões

Tivoli Marina Vilamoura e Tivoli Carvoeiro, que estavam nas mãos da Minor Internacional, continuarão sob gestão do NH Hotel Group.

Tivoli carvoeiro vendido
Tivoli Carvoeiro / Azora
Autor: Redação

O Algarve continua na mira dos investidores internacionais. E a espanhola Azora provou isso mesmo: comprou – através do seu fundo Azora European Hotel and Lodging, F.C.R. – dois luxuosos hotéis Tivoli nesta região, num negócio avaliado em 148 milhões de euros. A operação foi fechada com o grupo de origem tailandesa Minor Internacional (MINT).

Trata-se do Tivoli Marina Vilamoura e do Tivoli Carvoeiro, que continuarão sob gestão do NH Hotel Group em nome da MINT por um período inicial de 20 anos, com uma opção de prorrogação por mais dez anos, referem em comunicado enviado às redações.

Entretanto, e segundo escreve o Jornal de Negócios, esta transação gera "um ganho líquido na venda de ativos de 26 milhões de euros", para o grupo tailandês, que em 2016 comprou 14 hotéis da marca Tivoli ao falido Grupo Espírito Santo (GES) por 294 milhões de euros.

O Tivoli Marina Vilamoura é um hotel de cinco estrelas que oferece 383 quartos e suites em frente ao mar, sete restaurantes e bares, um spa e instalações desportivas e de lazer. Esta unidade, localizada junto à Marina de Vilamoura, foi melhorada nos últimos cinco anos, num projeto avaliado em 12 milhões de euros. Além disso, em 2018 foi construído um novo centro de congressos adjacente ao hotel, que é considerado o maior do Algarve.

Já a unidade de cinco estrelas Tivoli Carvoeiro Algarve localiza-se na falésia de Vale Covo, no Carvoeiro, e dispõe de 248 quartos e suites, cinco restaurantes, o Tivoli spa e um grande espaço para eventos. O hotel concluiu recentemente uma remodelação que foi realizada nos últimos quatros anos, sendo o investimento total associado de 15 milhões de euros.

Para Concha Osácar, co-fundadora da Azora, “esta aquisição é não só uma oportunidade de criar valor a longo prazo para os nossos investidores, mas também um marco importante para o fundo, uma vez que envolve a expansão da nossa carteira a Portugal, onde acreditamos firmemente na atratividade a longo prazo do Algarve como destino turístico e de lazer”. “A marca Tivoli é sinónimo de qualidade e estamos muito satisfeitos por ter realizado um contrato de gestão a longo prazo com a MINT e a NH Hotels, com os quais esperamos melhorar ainda mais estes hotéis excecionais”, acrescenta.

Por seu turno, Dillip Rajakarier, CEO da MINT, refere que a MINT está contente por poder "estabelecer uma parceria com a Azora, uma vez que ambas as empresas partilham uma visão idêntica de abordar os investimentos com uma perspetiva de longo prazo e enfatizar a criação de valor para os interessados".

Tivoli vilamoura vendido
Tivoli Marina de Vilamoura / Wikimedia commons
Esta foi a terceira operação realizada do fundo Azora European Hotel & Lodging, F.C.R., que foi lançado em julho de 2020 depois de captar 680 milhões de euros. As duas primeiras transações do fundo dizem respeito à aquisição do ‘Portfolio Semilla’ (que incluí dez hotéis resort e quatro hotéis urbanos distribuídos pela Europa) e o Giverola Resort, um aparthotel de 213 quartos na Costa Brava, Espanha. Hoje, este fundo de Azona tem uma capacidade total de investimento superior a 1,5 mil milhões de euros. Na sua mira estão hotéis de lazer em toda a Europa, mas especialmente aqueles junto à praia.

Esta operação é concluída num momento em que a pandemia não dá tréguas e continua a afetar o setor hoteleiro a Sul de Portugal. Mas para o futuro Concha Osácar desenha um cenário mais otimista: "Acreditamos firmemente que haverá uma recuperação pós-pandémica significativa no setor hoteleiro e de lazer europeu, onde existe uma procura reprimida após longos períodos de confinamento e restrições, especialmente nos mercados de sol e praia”, disse.

E é por isso que Azora não para de olhar para oportunidades. Concha Osácar revela que “à medida que avançamos para o mundo pós-Covid, estamos a construir um forte pipeline de novas oportunidades de investimento e a seguir com diálogos com proprietários e operadores de alguns dos melhores hotéis da Europa, como os dois hotéis Tivoli”.