Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Metade dos portugueses vão comprar uma prenda de Natal... para si próprios

Kari Shea/Unsplash
Kari Shea/Unsplash
Autor: Redação

Se eu não gostar de mim, quem gostará? Um lema saído da publicidade, é certo, mas que assenta que nem uma luva às intenções dos consumidores portugueses para este Natal. Porquê? Porque 50% dos portugueses tencionam comprar uma prenda de Natal para si mesmos. Uma tendência que se tem vindo a consolidar nos últimos anos, de acordo com um estudo do Observador Cetelem.

O relatório revela que a intenção de comprar presentes para o próprio tem vindo a aumentar gradualmente ao longo dos últimos anos: de 26% em 2013 passou para 29% em 2014, 29% em 2015 e 35% em 2016. Este ano situa-se nos 50%, ou seja, metade dos inquiridos não vão deixar passar em branco a quadra natalícia.

E qual é prenda mais desejada pelos portugueses? É mesmo o vestuário, neste caso para 34% dos inquiridos. Mas não só de roupas se faz o Natal. Os perfumes e relógios também são desejados por 15% das pessoas enquanto 12% dos consumidores gostaria de receber produtos como livros ou CD’s. Os telemóveis e smartphones também se encontram no top 5 da lista de preferências, sendo preferidos por 11% dos inquiridos.

Ao contrário do que se verifica na generalidade do ano e em anos anteriores, em 2017 os produtos e serviços respeitantes a viagens ou lazer são menos pretendidos pelos consumidores, pois apenas 6% dos inquiridos desejam receber uma prenda com esse perfil. Acessórios de moda, packs de lazer, tablet, eletrodomésticos e eletrónica de consumo – como TV, Hi-Fi, Vídeo – completam o top 10 das categorias que os portugueses pretendem comprar.