Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Rumores do dia

Autor: Redação

Governo quer reduzir défice para 1,9%, metade do previsto: O Governo quer repetir o brilharete de 2013 e ter um défice inferior à meta estabelecida com a Troika. O objetivo é ir, uma vez mais, além do combinado, não enveredando por um alívio de austeridade, apesar do efeito benigno da retoma e da folga de 2013. Desta forma, em vez de 4% do Produto Interno Bruto (PIB), o Executivo aponta agora para um défice de 1,9% este ano (metade do previsto), indicam números enviados pela Comissão Europeia ao Parlamento português. Trata-se de um assunto que será debatido no Conselho de Ministros extraordinário de hoje, que servirá para debater “as medidas para 2015 que fecharão o exame regular [11.ª avaliação]”, disse Luís Marques Guedes, ministro da Presidência. (Diário de Notícias)

Cortes definitivos nas pensões podem incluir nova taxa solidária: A “solução duradoura” que o Governo está a estudar para substituir a Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES) em 2015 poderá ir mais longe do que a simples indexação do valor das pensões à evolução da economia e da demografia. Segundo o Jornal de Negócios, os cortes definitivos nas pensões podem incluir uma contribuição solidária para corrigir o défice acumulado. (Jornal de Negócios)

Cada partido pode gastar até 2,9 milhões na campanha para as Europeias: Os partidos e coligações podem gastar até 2,9 milhões de euros cada na campanha eleitoral para o Parlamento Europeu, um montante que varia apenas em função do número de suplentes. O prazo limite para a entrega dos orçamentos de campanha eleitoral terminou esta segunda-feira, bem como o prazo para a entrega das candidaturas, devendo ser publicados no “site” do Tribunal Constitucional (TC) nos próximos dias. Ao todo, deram entrada no TC 16 listas candidatas às eleições, com duas novas formações políticas a disputarem pela primeira vez um ato eleitoral. (TSF)

Artigo visto em
idealista news