Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Negócios em tempos de pandemia no Porto: Trindade Domus vendido por mais de 40 milhões

Imóvel de escritórios e comércio foi comprado pela Finangeste em ‘joint venture’ com um investidor institucional sediado no Reino Unido.

Facebook do Edifício Trindade Domus
Facebook do Edifício Trindade Domus
Autor: Redação

O Trindade Domus, um edifício localizado no Porto com 20.000 metros quadrados (m2) de área bruta locável, conjugando escritórios (60%) e uma galeria comercial (40%), tem novo dono, tendo sido comprado pela Finangeste em ‘joint venture’ com um investidor institucional sediado no Reino Unido por mais de 40 milhões de euros.

A operação foi concluída em plena pandemia, revela a consultora imobiliária JLL, que conduziu o negócio no âmbito do mandato exclusivo de venda atribuído pelo anterior proprietário, cujo nome não foi revelado. A empresa destaca, no entanto, que recebeu mais de uma dezena de propostas.

O imóvel em causa, cosiderado pela JLL como “multifacetado”, foi construído em 2008 e está situado a poucos passos da Câmara Municipal do Porto, entre a Trindade e a Avenida dos Aliados. Tem estacionamento para 496 viaturas e totaliza sete pisos acima do solo e três em cave.

Para Fernando Ferreira, diretor de Capital Markets da JLL, o interesse em torno do Trindade Domus reflete “o elevado apetite dos investidores, quer nacionais quer internacionais, pelo mercado do Porto”. “Só no último ano e meio, que, como sabemos já inclui um período de quase paragem de atividade, registámos três transações de edifícios de escritórios no Porto por mais de 40 milhões de euros”, acrescenta. 

Já a administração da Finangeste diz estar muito feliz “com este investimento”, que incrementa a presença da empresa na Invicta. “[É uma] cidade em que fortemente acreditamos e onde mantemos uma relevante intensão de investimento num futuro próximo”, lembra.

Segundo a JLL, o Trindade Domus tem uma ocupação superior a 90% e acolhe inquilinos de referência quer nas áreas de escritórios quer na galeria comercial. 

“A componente de escritórios totaliza 12.000 m2, dos pisos 2 ao 7, interligando 5 blocos com acessos independentes. A Veniam, Randstad, Mindera, Armatis, CGI, SDP e as Viagens Abreu são alguns dos ocupantes dos escritórios, com uma forte presença de empresas nas áreas de TI. Na componente de retalho, que se distribui pelos pisos térreo, 1 e -1, a oferta é fortemente marcada pelo comércio e serviços de conveniência, com âncoras como o ginásio Fitness Hut e o supermercado Froiz”, lê-se no documento