Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

O que é melhor, ter casa própria ou arrendar uma? (Parte XIX)

A Deco preparou um guia para o idealista/news com o objetivo de ajudar os consumidores na hora de tomar a decisão.

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Viver na condição de proprietário, mesmo que isso implique ter de pedir um crédito à habitação para comprar casa, ou de inquilino, o que é melhor? É uma pergunta de difícil resposta, já que há vários cenários em cima da mesa que têm de ser bem analisados. Um deles diz respeito à mobilidade. Explicamos-te tudo sobre este tema com a ajuda da Deco – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor.

São vários os aspetos a ter em conta quando se avalia as opções e se pondera a decisão entre comprar ou arrendar casa. A decisão tem mesmo de ser devidamente refletida e um dos aspetos de relevo nessa avaliação é a questão da mobilidade. 

Existem vantagens e desvantagens em cada uma das opções se pensarmos na mobilidade, mas ambas devem ajudar no processo de tomada de decisão.

Se optares pela compra, é expectável que este investimento pressuponha uma permanência a longo prazo naquela casa. Não nos podemos esquecer que a compra de casa, nomeadamente quando feita com recurso a crédito à habitação, tem associado um compromisso de longo prazo, vários anos. Portanto, ficarás limitado ou amarrado no que respeita à tua mobilidade.  

Problemas, como sejam uma situação de desemprego, de mudança geográfica de emprego, ou de crescimento da família, podem obrigar à mudança de casa e às consequentes dificuldades, sendo a mais comum a de ter de suportar custos extra. 

Se a opção for o arrendamento, a mobilidade, à partida maior, sai vencedora. O arrendamento poderá revelar-se pois a decisão mais acertada ou conveniente sobretudo para as franjas mais jovens ou para o consumidor que não tem, ainda, uma grande estabilidade familiar e profissional.  

Poder-se-á afirmar que o arrendamento permite sem quaisquer dúvidas uma maior liberdade no momento de troca de habitação. Ou seja, para responderes a novos desafios, como a resposta a ofertas de emprego, ou às necessidades do crescimento da família, basta-te rescindir o contrato de arrendamento e podes mudar-te para outra localidade.

Outro aspeto que deves incluir na tua ponderação é o facto de a tua vida estar facilitada ao teres um arrendamento e não um imóvel que ainda estás a pagar ao banco se decidires mudar de trabalho, não só para outra região do país, mas também para o estrangeiro.

A Deco continua a apoiar e aconselhar os consumidores através do número de telefone 21 371 02 28/38 e do endereço eletrónico gas@deco.pt.