Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Crédito habitação: valor concedido dá salto de 65% face a 2019

Agosto foi o sexto mês consecutivo com montante superior a 1.200 milhões de euros.

Empréstimo para comprar casa
Foto de Alena Darmel no Pexels
Autor: Redação

Comprar casa continua a ser uma opção para muitos portugueses mesmo em tempos de pandemia. Com as poupanças das famílias em alta e as taxas de juro dos créditos habitação em baixa, as condições para adquirir casa parecem estar reunidas. E os dados do Banco de Portugal (BdP) mostram isso mesmo: os novos empréstimos à habitação totalizaram 1.261 milhões de euros em agosto de 2021, um valor que é 64,8% superior ao registado no mesmo mês de 2019, antes da pandemia.

A chegada da pandemia veio abrandar ligeiramente a corrida ao crédito habitação para comprar casa. Em dezembro de 2019 – cerca de dois meses antes da situação pandémica ser declarada – o montante dos empréstimos concedidos a particulares para comprar casa havia alcançado o maior valor desde julho de 2008 - cerca de 1.113 milhões de euros. Este valor caiu durante a pandemia e foi preciso um ano para que fosse superado, já que tal só foi registado em dezembro de 2020, mês em que os bancos concederam 1.203 milhões de euros em empréstimos habitação, segundo os dados do BdP.

Desde então, os valores estão em alta, refletindo o aumento de compra de casas no país recorrendo a empréstimos bancários. E em julho de 2021 foi registado o maior valor concedido nos últimos 12 anos: cerca de 1.385 milhões de euros. O montante concedido em agosto de 2021 continua alto, sendo o sexto mês consecutivo em que se encontra acima dos 1.200 milhões. Mas, ainda assim, registou-se uma descida de 124 milhões de euros face a julho.

Fazendo um balanço, os dados do BdP relativos a agosto de 2021 mostram que o montante concedido em novos empréstimos para comprar casa subiu 47,7% face a 2020 e 64,8% face ao mesmo mês de 2019, refletindo, assim, a recuperação do setor para valores superiores ao período pré-pandémico e também a disponibilidade dos bancos para apostar no financiamento de aquisição de casas de particulares.

A taxa de juro média destes empréstimos manteve-se em 0,80%, aponta o BdP no seu relatório publicado na passada sexta-feira, dia 1 de outubro. Note-se que esta taxa encontra-se abaixo de 1% desde agosto de 2020.

Empréstimo para comprar casa
Foto de Ketut Subiyanto no Pexels

Total de empréstimos sobe 2,3% num mês

No que diz respeito ao total de créditos a particulares, os bancos concederam 1.861 milhões de euros de novos empréstimos aos particulares a uma taxa de juro média de 2,39%. Este valor é superior ao registado em julho deste ano (2,28%) mas inferior ao registado em período homólogo (2,75%).

Embora a grande fatia diz respeito ao crédito habitação, também foram registados créditos ao consumo na ordem dos 413 milhões de euros, montante que representa uma redução de 16 milhões de euros em relação a julho de 2021 e um aumento de 50 milhões de euros face a agosto de 2020. Neste tipo de crédito, a taxa de juro média foi de 6,66%, aponta ainda o regulador.

Crédito ao consumo
Foto de mentatdgt no Pexels