Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Imóveis penhorados

Últimas notícias sobre "Imóveis penhorados" publicadas em idealista.pt/news

Vendidos quase 9.000 imóveis penhorados no portal e-leilões desde 2016

A venda de bens penhorados através do e-leilões ultrapassou os 930 milhões de euros desde que o sistema arrancou em maio de 2016. Em três anos, de resto, foram vendidos perto de 9.000 imóveis.

Notícia sobre:

Imóveis penhorados, o tipo de bens que o Fisco mais leva a leilão

Cerca de metade dos bens penhorados pelo Fisco corresponde a casas, terrenos, edifícios comerciais e industriais e garagens. A Autoridade Tributária e Aduaneira está, desde 2016, proibida de vender casas penhoradas que servem de habitação própria e permanente ao devedor. Ainda assim, os imóveis continuam a ser o tipo de bens que o fisco mais leva a leilão. Desde o início do ano, já foram vendidos por esta via 1475 imóveis penhorados, o que corresponde a uma média de 134 por mês.

Notícia sobre:

Número de imóveis penhorados desce para níveis de 2011

Em 2016, o número de imóveis penhorados em tribunais de primeira instância desceu para níveis de 2011, ano em que a Troika chegou a Portugal. Ao todo, foram penhorados no ano passado 9.581 imóveis, menos que no ano anterior (9.982 penhoras) e que em 2011 (9.612 penhoras).

Notícia sobre:

Quinta no Douro penhorada pelo tribunal rende dois milhões em leilão online

Uma quinta no Douro, que tinha sido penhorada pelo tribunal, acaba de ser vendida no primeiro grande leilão online promovido pela Ordem dos Solicitadores e Agentes de Execução (OSAE). Com uma base de licitação de 1,2 milhões de euros, este imóvel acabou por ser transacionado por 66% mais, ou seja, dois milhões de euros, e foi a oferta mais elevada do leilão realizado no passado dia 6 de julho.

Notícia sobre:

Penhoras: Finanças avaliam 9 mil imóveis para saber se são casas de famílias

As Finanças têm em curso um processo de avaliação de 9 mil imóveis de particulares que tenham sido penhorados por dívidas fiscais. O objetivo é aferir se em causa estão casas de famílias, para saber quais poderá vender, na sequência da alteração à lei que entrou em vigor a 24 de maio.

Notícia sobre:

Pavilhão do Beira-Mar convertido em condomínio de luxo

Onde antes estava o Pavilhão do Beira-Mar, no centro de Aveiro, junto à ria, vai nascer um edifício de 12 apartamentos de luxo, pela mão de uma família luso-americana que vai investir perto de cinco milhões de euros no empreendimento. As obras na antiga infraestrutura desportiva, que o clube de futebol da segunda divisão distrital perdeu por dívidas, devem estar concluídas em meados de 2018.

Notícia sobre:

Casas penhoradas serão vendidas em leilão eletrónico

Casas e terrenos penhorados – bem como automóveis e outros bens – pelos agentes de execução vão passar a ser vendidos em leilão eletrónico, evitando a lentidão dos tribunais e permitindo o pagamento rápido aos credores.

Notícia sobre:

Sistema informático de penhoras do Fisco ainda não reconhece se a casa é morada de família

Quando a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) faz uma penhora de um imóvel, o sistema informático ainda não reconhece se a casa é a morada de família. A identificação automática ainda não existe, mas será relevante quando entrarem em vigor as propostas legislativas que estão a ser discutidas na especialidade no Parlamento para proteger a habitação das famílias nos processos de execução fiscal.

Notícia sobre:

Vendas de casas penhoradas pelo Fisco diminuíram quase 23% em 2015

O ritmo de venda das casas penhoradas pela Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) abrandou em 2015. O Fisco alienou 2.720 imóveis no ano passado, menos 800 – o equivalente a menos 22,7% – que em 2014, ano em que as vendas tinham crescido ao ponto de serem vendidos em média quase dez imóveis por dia.

Notícia sobre:

Casas penhoradas: venda deixa de ser automática e fica com os chefes do Fisco

A marcação automática de vendas de imóveis, associada à falta de controlo humano caso a caso e à pressão para aumentar a receita fiscal, provocou algumas situações caricatas, que o Ministério das Finanças tenta agora corrigir.

Notícia sobre: