Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Turismo ganha “terreno” no Centro, Alentejo e Norte de Portugal à boleia da pandemia

Jornal de Negócios
Jornal de Negócios
Autor: Redação

O setor turístico é um dos mais afetados pela crise pandémica da Covid-19, havendo milhares de camas de hotéis e de outros alojamentos/unidades turísticas vazias um pouco por todo o território nacional. Mas há algumas regiões que ganharam “terreno” e que podem ter motivos para sorrir no final da crise. Falamos do Centro, do Alentejo e do Norte do país, que este ano ganharam peso sobre o total de dormidas.

Segundo dados recentes Instituto Nacional de Estatística (INE), entre janeiro e agosto deste ano, Portugal registou pouco mais de 18,2 milhões de dormidas, menos 63% que no mesmo período do ano passado. Um desempenho que não foi, no entanto, igual em todo o país. Se nos Açores, Madeira e Área Metropolitana de Lisboa se registaram quedas a rondar os 70%, nas regiões do Norte e Centro as reduções rondaram os 50%. E no Alentejo as dormidas caíram “apenas” 39%, escreve o Jornal de Negócios, apoiando-se nos dados do INE.

Segundo as contas da publicação, Centro, Alentejo e Norte foram as únicas regiões que viram o seu peso aumentar no total de dormidas a nível nacional.