Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Guerra de spreads abre a porta a maior risco de incumprimento na prestação da casa

Photo by Karla Alexander on Unsplash
Photo by Karla Alexander on Unsplash
Autor: Redação

A guerra dos spreads no crédito à habitação continua ao rubro – já este mês o BPI anunciou um corte do spread mínimo para 1,2%. Mas esta descida contínua das taxas que os bancos cobram para financiar a compra de casa pode abrir a porta a um maior nível de incumprimento do crédito por parte das famílias no futuro. O alerta é do Banco de Portugal (BdP), que pede “cuidado” às instituições financeiras, uma vez que ainda há sinais de “sobrevalorização do mercado imobiliário”.

O regulador salienta que a “tentativa de aumento do volume de crédito através da fixação de spreads de taxa de juro que não cubram o risco de crédito de maneira sustentável traduzir-se-á, no futuro, num maior nível de incumprimento no crédito”. Nota que, e apesar da redução significativa do rácio de NPL (crédito mal parado) desde meados de 2016, este mantém-se elevado no contexto europeu, “pelo que importa continuar a implementar os planos de redução de NPL submetidos às autoridades de supervisão.”

O banco central pede, por isso, maior “cuidado” aos bancos no momento da atribuição de crédito para comprar casa. “Perante esta sobrevalorização [do mercado imobiliário], é importante que as instituições tenham particular cuidado na definição dos critérios de concessão de crédito", refere o BdP no relatório de estabilidade financeira publicado esta quarta-feira, 5 de junho de 2019. 

Os alertas do supervisor surgem numa altura em que as perspetivas de abrandamento da atividade económica geram um desafio para a estabilidade financeira, “em particular dado o ainda elevado nível de endividamento”, destaca o regulador.