Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Merlin Properties continua “à pesca” em Portugal: quer investir mais mil milhões até 2023

Edifício Arts, no Parque das Nações, foi uma das últimas aquisições na empresa em Portugal / JLL e Cushman & Wakefield
Edifício Arts, no Parque das Nações, foi uma das últimas aquisições na empresa em Portugal / JLL e Cushman & Wakefield

Os espanhóis da Merlin Properties (MP) já compraram 10 ativos em Portugal, oito dos quais imóveis de escritórios em Lisboa – cinco no Parque das Nações. Um investimento de quase mil milhões de euros que pode duplicar até 2023, confirmou ao idealista/news João Cristina, diretor da empresa em Portugal. A aposta passa por aumentar a carteira de escritórios na capital, reitera, e a “ambição é ser líder de mercado neste segmento”, conta.

A notícia foi avançada pelo jornal espanhol Cinco Días, que revela que a aposta da Socimi espanhola no mercado imobiliário nacional veio para ficar. Citando fontes da empresa, a publicação assegura que a MP pretende investir mais mil milhões de euros em Portugal nos próximos anos, até 2022/2023. Desta forma, a MP seria a maior proprietária de imóveis de escritórios em Lisboa, destronando a Norfin e a Castel Group.

Ao idealista/news, João Cristina não fecha a porta a novas aquisições no Parque das Nações, assegurando que continua a ser uma localização que está na mira da empresa no segmento de escritórios.

O responsável lembra, no entanto, que há outras localizações com potencial, como o CBD (Central Business District). E explica que apesar da mira estar apontada ao segmento de escritórios, a MP aposta também no segmento da logística e nos centros comerciais – já investiu, de resto, nestas duas áreas, através da compra da Plataforma Logística Lisboa Norte e do Centro Comercial Almada Forum, respetivamente.

Segundo o responsável, com a recente aquisição, no Parque das Nações, de dois edifícios de escritórios – o Art's e a Torre Fernão de Magalhães (TFM) –, a MP passa a deter cerca de 100 mil metros quadrados (m2) na capital neste segmento, dos quais 60 mil m2 na zona oriental. 

“Queremos muito investir no segmento de escritórios”, conta João Cristina, adiantando que “ainda há espaço para crescer neste mercado”, apesar de haver “imensa procura” e desta não corresponder à oferta. “Há empresas que procuram espaço em Lisboa, mas ele nem sempre existe. E há edifícios que já envelheceram”, conclui.

Carteira de imóveis da Merlin Properties em Portugal

Ano Imóvel/localização Custo de aquisição
2015 Edifício Caribe, sede da Novabase/Parque das Nações  18 milhões €
2016 Edifício Monumental e Torre A das Torres de Lisboa, sede da Galp 103 milhões €
2016 Plataforma Logística Lisboa Norte/Castanheira do Ribatejo Valor desconhecido
2017 Marquês de Pombal 3/Lisboa 60,3 milhões €
2017 Central Office/Parque das Nações  29 milhões €
2018 Torre Zen/Parque das Nações 33,3 milhões €
2018 Centro Comercial Almada Forum/Almada 406,7 milhões €
2019 Art's e Torre Fernão de Magalhães/Parque das Nações 112,2 milhões €