Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

bancos não sobem “spreads” na habitação desde abril

a cgd, o bpi e o bes ainda não subiram os “spreads” este ano
Autor: Redação

os bancos estão a dar sinais de estarem a estabilizar os “spreads” praticados nos novos contratos de crédito à habitação. de acordo com o diário económico, que analisou os valores aplicados em 13 dos maiores bancos a operar no país, quase todos não realizam subidas deste indicador desde abril. a excepção é o barclays, que agravou, este mês, o “spread” mínimo de 2,95% para 3,5% e o máximo de 7,3% para 7,65%

segundo a publicação, a cgd, o bpi e o bes ainda não subiram os “spreadseste ano, o que reforça a tendência de estabilização, depois da escalada a que se assistiu no ano passado e no início deste ano, com os juros máximos a rondarem, em média, os 7%

esta é, de resto, uma ideia que já tinha sido sinalizada pelo sector financeiro no último “inquérito aos bancos sobre o mercado de crédito”, elaborado pelo banco de portugal, em abril. “para o segundo trimestre, a generalidade dos bancos inquiridos não perspectiva a aplicação de critérios mais restritivos na concessão de empréstimos ou linhas de crédito a empresas. no que toca aos empréstimos a particulares, os resultados obtidos sugerem a manutenção dos critérios seguidos na aprovação de crédito à habitação”, lê-se no documento

notícias relacionadas

crédito à habitação: aumentam os “spreads” e os custos de abertura de processo

deco quer impedir subida dos “spreads” no crédito à habitação (gráfico)