Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Manhattan

Últimas notícias sobre "Manhattan" publicadas em idealista.pt/news

Gtres

Nova-iorquinos deixam Manhattan para enfrentar a pandemia: vendas de casas caem 60% em julho

O mercado de compra e venda de casas recuperou em todas as zonas de Nova Iorque (EUA) em julho, exceto em Manhattan. Desde há um mês que foram levantadas as restrições às visitas para comprar casa em todo o estado, mas à medida que as operações foram crescendo em toda a periferia, inclusive em Brooklyn, que os compradores exigem descontos até 20% para adquirir um apartamento na ilha.

Notícia sobre:

Edifícios de luxo em Nova Iorque podem ser a solução para “dar casa” aos sem-abrigo

Aumentar a oferta de casas no mercado em Nova Iorque (EUA) para a população sem-abrigo é uma das preocupações das autoridades. Para dar resposta a essa situação, as empresas que recebem incentivos fiscais para construir torres com salas de ioga e mesas de bilhar, na condição de arrendarem alguns dos imóveis a preços mais acessíveis, serão obrigadas a ocupar esses apartamentos com residentes de abrigos, caso não encontrem inquilinos através de um sorteio de habitações acessíveis.

Notícia sobre:

Ajustar os preços das casas: lições a aprender com Manhattan para evitar uma bolha em Portugal

Um em cada quatro apartamentos de luxo em Manhattan, em Nova Iorque (EUA), está à venda e sem comprador. Em causa está, entre outras coisas, o necessário ajustamento nos preços, segundos os especialistas.

Notícia sobre:
Está localizado em Manhattan

Assim é o arranha-céus desenhado por Siza Vieira que está a nascer em Nova Iorque

Notícia sobre:

Nasce em Nova Iorque o maior projeto imobiliário dos EUA: Hudson Yards “custa” 22 mil milhões

Está a nascer em Manhattan, Nova Iorque, aquele que é o maior projeto imobiliário privado da história dos EUA. O Hudson Yards resulta de um investimento de 22 mil milhões de euros e terá no total 113 mil m2.

Notícia sobre:
Oiio

O arranha-céus mais comprido do mundo terá 1.230 metros e será um “U” ao contrário

Aquele que será o arranha-céus mais comprido do mundo terá 1.230 metros e será construído em Nova Iorque (EUA). Dizemos comprido e não largo porque o projeto da empresa de arquitetura Oiio tem a surpreendente forma de “U” invertido e medirá pouco mais de 600 metros de altura (na sua parte mais alta).
Notícia sobre:

...E o patrão chinês da companhia aérea portuguesa quer comprar arranha-céus em Nova Iorque

O grupo chinês HNA, acionista da TAP através do consórcio Atlantic Gateway e da companhia brasileira Azul, está a negociar a compra de um arranha-céus em Nova Iorque (EUA) por 2,21 mil milhões de dólares (dois mil milhões de euros). A torre em causa, a Manhattan's 245 Park Avenue, tem 158.000 m2 e tem como inquilino, por exemplo, o fundo de investimentos JPMorgan Chase & Co.

Notícia sobre:

“Casa Abóbora”, a mansão mais estranha de Nova Iorque, está à venda por 4,7 milhões

Todas as quintas-feiras apresentamos uma nova casa de sonho. Desta vez fazemos as malas e voamos até Nova Iorque (EUA), para conhecer aquela que é a única casa da cidade que está “pendurada” num penhasco. A “Casa Abóbora”, batizada assim devido às semelhanças existentes entre a sua fachada e as “caras” que se desenham nas abóboras do Halloween – quando o sol brilha –, é uma das propriedades mais estranhamente atraentes da cidade.
Notícia sobre:

Quando o Bronx era “zona de guerra”: a selvagem Nova Iorque dos anos 1970

A Nova Iorque que conhecemos hoje é a “Disneylândia”, mas nem sempre foi assim. Nos anos 1970 e 1980, a cidade era selvagem. O pior lugar era o Bronx. O seu nome é sinónimo universal para qualquer bairro pobre, marginal e perigoso. A sorte deste distrito mudou no final dos anos 1960, quando os trabalhadores que ali viviam se mudaram para outros bairros de classe média: as casas desvalorizaram e transformou-se num local de delinquência, drogas e gangues de rua.
Notícia sobre: