Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Menos de dez mil casas serão construídas em 2015

Estudo concluiu que a construção de casas novas está a cair todos os anos desde 2005.
Autor: Redação

A construção é um dos setores mais afetados pela crise, senão mesmo o mais atingido. Um estudo sobre o parque habitacional português elaborado pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) e pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) concluiu que a construção de casas novas está a cair todos os anos desde 2005, prevendo-se que, em 2015, apenas sejam concluídas nove mil casas novas.

Trata-se de uma quebra de quase 87% face a 2006, ano em que se construíram 69,1 mil alojamentos. De acordo com o Dinheiro Vivo, que se baseia no referido estudo, verificou-se, por outro lado, um aumento das obras de reabilitação, que aconteceu devido à falta de liquidez e à falta de escoamento de casas para vender.

Citado pela publicação, António Vilhena, um dos responsáveis do LNEC envolvido no estudo, adiantou, no entanto, que ainda há um longo caminho a percorrer na reabilitação. O especialista referiu que o maior salto na reabilitação deu-se de 2002 para 2003, passando das três mil obras concluídas para as seis mil, sendo que desde então essa tem sido a média nacional. “Há menos construção, mas a reabilitação é limitada e ainda não se está a fazer o adequado reencaminhamento da mão de obra perdida na construção para a reabilitação”, explicou, salientando que esse é uma das formas de salvação do setor.

Segundo dados do INE, em 2011, havia 5,9 milhões de casas e apenas quatro milhões de famílias, o que significa 1,9 milhões de casas a mais ou 1,45 alojamentos por família. E mais: em 58 dos 308 municípios do País há o dobro das casas para as famílias existentes.